facebook-paroquia
Para assistir às celebrações on-line

 


MISSAS:

SÁBADOS

18.30H – Via Facebook

DOMINGOS 

11.00H – Via Facebook

MISSAS DE SEMANA:

Terças-feiras

19.00H – Via Facebook

Quarta a Sexta-feira 

8.30H – Via Facebook

 

COMO POSSO AJUDAR A PARÓQUIA? CLIQUE AQUI

 


Dia do Consagrado

2 de Fevereiro 2021

Celebramos hoje o dia do consagrado.

Este dia da apresentação do Senhor, em que Maria e José levam o menino ao templo para O oferecer ao Senhor, foi O escolhido pela Igreja para ser o dia do consagrado.

É o dia em que se celebra a oferta total a Deus da vida de tantos homens e mulheres do mundo inteiro. São diferentes formas da vida consagrada: congregações religiosas, institutos seculares, ordens contemplativas, sociedades de vida apostólicas,…

Convosco, louvamos pelo dom da sua entrega e rezamos pela sua fidelidade.

Há bastantes consagrados de diferentes institutos, naturais da paróquia da Benedita, alguns missionários em outros países. Louvemos por este dom!

É com muita alegria que nós irmãs Servas de Nossa Senhora de Fátima, na complementaridade das diferentes vocações, convosco fazemos parte e construímos a nossa querida comunidade paroquial da Benedita.

Como irmãs, chamadas a ser sinal do infinito amor de Deus que Tudo é na nossa vida e N´Ele ser fermento de fraternidade universal, faz parte da nossa vocação, viver em comunidade e estar em missão onde formos enviadas. Neste momento a nossa comunidade é constituída pelas irmãs Catarina Cândido, Dina Henriques, Lourdes Garcia, Maria José Bruno e Olinda Branco, aguardamos para que possa vir mais alguém. Somos de diferentes locais e quase todas de nós já tivemos em missão em outros países: Angola, Canadá, Moçambique, Guiné- Bissau. Agora vivemos aqui convosco. Agora, convosco fazemos a experiencia do confinamento e da fragilidade humana. Muitos têm pedido neste tempo a nossa oração. Contém connosco.

Neste ano celebramos os 75 anos de presença da nossa congregação na Benedita cujo o fruto mais visível é o Centro Social Paroquial. Muitas irmãs por cá já passaram, muitas das quais já faleceram. Louvemos ao Senhor pelo dom da sua vida consagrada entregue ao serviço de tantos!

Celebramos este jubileu num momento especial: o da pandemia. Ecoa o silêncio da gratidão de tanta entrega e vida doada, no serviço grande e visível ou nos pequenos gestos e palavras, na presença ou na oração. Um ideal de vida apresentado pela Madre Luiza Andaluz ao povo da Benedita, na chegada das irmãs a 13 de Abril de 1946: “é preciso viver Cristo e que Ele seja o Senhor supremo das nossas almas”.

Pelas irmãs Servas de Nossa Senhora de Fátima

Ir. Dina Henriques

 

 


conferenciaepiscopalportuguesalogo

Comunicado do Conselho Permanente da CEP

face à aprovação da eutanásia

CARREGUE AQUI


Comunicado da Conferência Episcopal Portuguesa

1. Tendo consciência da extrema gravidade da situação pandémica que estamos a viver no nosso País, consideramos que é um imperativo moral para todos os cidadãos, e particularmente para os cristãos, ter o máximo de precauções sanitárias para evitar contágios, contribuindo para ultrapassar esta situação.

2. Nesse sentido, embora lamentando fazê-lo, a Conferência Episcopal Portuguesa determina a suspensão da celebração “pública” da Eucaristia a partir de 23 de janeiro de 2021, bem como a suspensão de catequeses e outras atividades pastorais que impliquem contacto, até novas orientações. As Dioceses das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira darão orientações próprias.

3. Estas medidas devem ser complementadas com as possíveis ofertas celebrativas, transmitidas em direto por via digital.

4. As exéquias cristãs devem ser celebradas de acordo com as orientações da Conferência Episcopal de 8 de maio de 2020 e das autoridades competentes.

5. Exprimimos especial consideração, estima e gratidão a quantos, na linha da frente dos hospitais e em todo o sistema de saúde, continuam a lutar com extrema dedicação para salvar as vidas em risco. Que Deus abençoe este inestimável testemunho de humanidade e generosidade e que eles possam contar com a solidariedade coerente e responsável de todos os cidadãos, a fim de que, com a colaboração de todos, possamos superar esta gravíssima crise e construir um mundo mais solidário, fraterno e responsável.

6. Pedimos que, a nível individual, nas famílias e nas comunidades, se mantenha uma atitude de constante oração a Deus pelas vítimas mortais da pandemia, pedindo ao Senhor da Vida que os acolha nos seus braços misericordiosos, e manifestamos o nosso apoio fraterno aos seus familiares em luto.

Lisboa, 21 de janeiro de 2021

 


Rede Mundial de Oração 

PAPA FALA DA VIOLÊNCIA SOBRE AS MULHERES

VEJA O VIDEO AQUI


O Papa: que 2021 seja um ano de solidariedade fraterna e de paz para todos

Papa Francisco na oração do Angelus,   01/01/2021 , (in Vatican News)

“Começamos o Ano Novo colocando-nos sob o olhar materno e amoroso de Maria Santíssima, que a liturgia hoje celebra como a Mãe de Deus. Desta forma retomamos nosso caminho pelas veredas do tempo, confiando nossas angústias e nossos tormentos Àquela que pode fazer todas as coisas. Maria olha-nos com ternura materna, assim como olhava para seu Filho Jesus. Se olharmos para o Presépio, vemos que Jesus não está no berço. Disseram-me que Nossa Senhora disse: “Deixem-me segurar um pouco no colo este meu filho?” Assim faz Nossa Senhora connosco: quer nos segurar em seus braços para nos proteger como ela protegeu e amou o seu Filho.

O olhar assegurador e consolador da Virgem Santa é um encorajamento para fazer de modo que este tempo, que nos é dado pelo Senhor, seja gasto para o nosso crescimento humano e espiritual, que seja um tempo para remover os ódios e as divisões, e existem muitas, que seja um tempo para sentir que somos todos mais irmãos e irmãs, que seja um tempo para construir e não para destruir, cuidando uns dos outros e da criação. Um tempo para fazer crescer, um tempo de paz. É propriamente ao cuidado do próximo e da criação que é dedicado o tema do Dia Mundial da Paz, que hoje celebramos: A cultura do cuidado como percurso de paz. Os dolorosos acontecimentos que marcaram o caminho da humanidade no ano transcorrido, especialmente a pandemia, nos ensinam como é necessário interessar-se pelos problemas dos outros e compartilhar suas preocupações. Esta atitude representa o caminho que leva à paz, pois favorece a construção de uma sociedade fundada em relações fraternais. Cada um de nós, homens e mulheres de nosso tempo, é chamado a realizar a paz: cada um de nós. Não sejamos indiferentes a isso. Somos todos chamados a realizar a paz e a realizá-la todos os dias e em todos os ambientes da vida, estendendo a mão ao irmão que precisa de uma palavra de conforto, de um gesto de ternura, de uma ajuda solidária. Para nós, esta é uma tarefa dada por Deus. O Senhor nos dá a tarefa de sermos operadores de paz.

A paz pode ser construída se começarmos a estar em paz connosco, em paz por dentro, no coração, connosco, e com aqueles ao nosso redor, removendo os obstáculos que nos impedem de cuidar dos que se encontram necessitados e na indigência.

Trata-se de desenvolver uma mentalidade e uma cultura do “cuidar”, a fim de derrotar a indiferença, vencer o descarte e a rivalidade, que infelizmente prevalecem. Eliminar esses comportamentos. A paz não é apenas a ausência de guerra, a paz nunca é asséptica: não, a paz do quirófano não existe. A paz está na vida: não é apenas a ausência de guerra, mas uma vida rica em sentido, impostada e vivida na realização pessoal e na partilha fraterna com os outros. Então essa paz tão almejada e sempre ameaçada pela violência, pelo egoísmo e pela maldade, aquela paz colocada em perigo, torna-se possível e realizável se eu a tirar como uma tarefa que me foi doada por Deus.

Que a Virgem Maria, que deu à luz o “Príncipe da Paz”, e que o mima com ternura em seus braços, obtenha para nós do céu o precioso bem da paz, que não podemos perseguir plenamente apenas com a força humana. Somente as forças humanas não são suficientes, porque a paz é sobretudo um dom, um dom de Deus; deve ser implorada com oração incessante, sustentada por um diálogo paciente e respeitoso, construída através de uma cooperação aberta à verdade e à justiça e sempre atenta às legítimas aspirações dos indivíduos e dos povos. Meu auspício é que a paz reine no coração dos homens e nas famílias; nos lugares de trabalho e de lazer; nas comunidades e nas nações. Nas famílias, no trabalho, nas nações: paz. E agora que pensamos que a vida hoje é resolvida com guerras, inimizades e muitas coisas que destroem… queremos a paz. E isso é um dom.

No limiar deste início, a todos estendo meus cordiais votos de um feliz e sereno 2021. Cada um de nós procure fazer com que seja um ano de solidariedade fraterna e de paz para todos; um ano repleto de confiança e de esperanças, que confiamos à proteção celestial de Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe.

 


 

Papa convoca o “Ano de São José”

Carta Apostólica – Patris Corde

O Papa anunciou a convocação de um Ano dedicado a São José, de 8 de dezembro deste ano até 8 de dezembro de 2021, para assinalar o 150.º aniversário da sua declaração como padroeiro da Igreja universal.

   Francisco publicou a Carta Apostólica ‘Patris Corde’ (com coração de pai), destacando que depois de Maria, a Mãe de Deus, nenhum Santo ocupa tanto espaço no magistério pontifício como José, seu esposo.

O documento apresenta reflexões pessoais do Papa sobre São José, figura extraordinária, tão próxima da condição humana.

   A carta destaca a relação com o trabalho, na figura de São José: “Neste nosso tempo em que o trabalho parece ter voltado a constituir uma urgente questão social e o desemprego atinge por vezes níveis impressionantes, mesmo em países onde se experimentou durante várias décadas um certo bem-estar, é necessário tomar renovada consciência do significado do trabalho que dignifica e do qual o nosso Santo é patrono e exemplo. Como poderemos falar da dignidade humana sem nos empenharmos por que todos, e cada um, tenham a possibilidade dum digno sustento? Num momento de crise económica, social, cultural e espiritual é necessário redescobrir o valor do trabalho para dar origem a uma nova normalidade, em que ninguém seja excluído”.

   Francisco evoca todas as pessoas que se dedicaram aos outros no atual momento de pandemia, muitas vezes longe dos holofotes dos media e da opinião pública. “Todos podem encontrar em São José – o homem que passa despercebido, o homem da presença quotidiana discreta e escondida – um intercessor, um amparo e uma guia nos momentos de dificuldade”.

   Na Carta Apostólica ‘Patris Corde’, o Papa Francisco deixa uma revelação sobre a sua devoção a São José:

“Todos os dias, há mais de quarenta anos, recito uma oração a São José tirada dum livro de devoções, do século XIX, da Congregação das Religiosas de Jesus e Maria, que expressa devoção, confiança e um certo desafio a São José:

«Glorioso Patriarca São José, cujo poder consegue tornar possíveis as coisas impossíveis, vinde em minha ajuda nestes momentos de angústia e dificuldade. Tomai sob a vossa proteção as situações tão graves e difíceis que vos confio, para que obtenham uma solução feliz. Meu amado Pai, toda a minha confiança está colocada em Vós. Que não se diga que eu vos invoquei em vão, e dado que tudo podeis junto de Jesus e Maria, mostrai-me que a vossa bondade é tão grande como o vosso poder. Amen»”.

                               Baseado na Agência Eclesia



JMJ2023 – PORTUGAL

logo-jmj2023

 

 

 


 

PARA IR À IGREJA

PRESTE MUITA ATENÇÃO

ÀS IMAGENS

RECOMENDAÇÕES GERAIS – clik aqui

REZAR EM SEGURANÇA – clik aqui

O USO DAS MÁSCARAS É OBRIGATÓRIO – clik aqui

COMO DEVEMOS COMUNGAR? – clik aqui

COMO DEVO LAVAR AS MÃOS? – clik aqui


APRENDER A REZAR O ROSÁRIO

Para quem quiser unir-se à oração do Rosário que os Pastorinhos de Fátima, Jacinta e Francisco, tanto fizeram mesmo em tempo da pandemia «pneumónica», é sempre uma grande ajuda. Para aprender a rezar basta descarregar o link.

Aprender a rezar o Rosário